Home » Media » Missiologia: Vídeo 2 – Ed Renê Kivitz
Post Tagged with , , ,

16 Responses so far.

  1. Cleiton Nunes disse:

    O Pastor Ed. René inicia o seu discurso questionando a real relevância da igreja na cidade. Não adianta existir e não impactar, pertencer e não participar, pregar e não influenciar e neste contexto ele afirma que a melhor maneira da igreja atuar em uma cidade é resignificando a fé onde o relativismo impera. Ao contrário do que se pensa a cidade é um lugar para se ouvir a sociedade não apenas imputar conceitos.

  2. vanessa costa costa da mota disse:

    O pastor nos mostra em sua percepção sobre Jardim e cidade a historia de ambos e suas consequências. A cidade sendo oposta do jardim. o jardim sendo o paraíso, obra exclusiva do criador, dada ao homem. Ao romper a sua relação com Deus, o homem, transforma o jardim em cidade.
    Na cidade quem manda é o homem, na intenção de ter o jardim de volta.
    O pastor nos diz sobre existências do cristianismo. E em termos preocupação em buscar na originalidade a fé para mostrarmos o motivo da existência da Igreja na cidade. A igreja precisa ter relacionamento com sua comunidade e conhece-la. Ela precisa falar e se abrir sobre assuntos que a comunidade não fala ou fala pouco. Ela (Igreja em comunidade e na singularidade) precisa se expor em sua comunidade e mostrar a fé sendo argumentada em defesa da mesma.
    A Igreja precisa chamar para perto e fortalecer seus relacionamentos com a comunidade e servi-los, afinal esse é o papel da Igreja relevante. Servi a todos em suas necessidades.

  3. Vitor Rios disse:

    Ao abordar a correlação entre o jardim e a cidade onde um tinha Deus como centro de tudo e outro a tentativa do homem de reproduzir o contexto do jardim mas se colocando como centro afastando Deus de si.
    E a igreja precisa mostrar à cidade a verdade que é Cristo sem medo de ser contestada e sem sentido, cumprindo a missão igreja.

  4. GIVANILDO disse:

    Muito interessante quando o pastor faz a comparação do jardim e a cidade algo distinta uma da outra. E quando colocar que a Igreja ela tem que ser relacionamento como vamos apresentar uma Jesus se eu não me relaciono com as pessoas como vou pregar aquilo que não vivo então eu preciso me relacionar, a igreja precisa ter relacionamento.

  5. Maria Eduarda Nunes Barbosa disse:

    Muito interessante quando Pr. Ed René kivitz da uma comparação com a cidade é o jardim.
    Deus criou o jardim para Adão ( ser humano) mas por meio do pecado ele foi espulso,como o homem tem dentro dele a essência do criador cria a cidade, Pra. Ed René da vários exemplos de cidades construídas por ser humano que deram tudo errado, mas lá o homem tem domínio de tudo que tira Deus da centralidade onde ele deve realmente está. atualmente somos igrejas na cidade, devemos pregar o evangelho que os apóstolos pregaram, não altera nada mas falando que há um só Deus, mas fazer o que Jesus mandou, quando alimentamos um faminto ou sendo relevante na sociedade é principalmente pregando o evangelho estamos cumprindo o IDE

  6. Ariane Machado disse:

    A igreja brasileira se vê hoje perdida em seus conceitos, e ressignificar a fé é certamente uma reviravolta para a igreja. Primeiro voltando aos conceitos, de forma que a mensagem da cruz volte a ser central, mudando a postura do seu povo e consequentemente “saindo para fora”. Isso nos levaria a uma pregação do evangelho genuíno e transformador, mas antes disso mudaria a visão que o mundo tem hoje da igreja, uma visão de não aceitação e julgamentos. óbvio que não seria instantâneo e ainda haveriam os que destoariam dentro dessa igreja transformada. Porém, os exemplos ruins (escândalos) seriam substituídos pelos exemplos de uma igreja transformada em Cristo, aliado a uma igreja relacional e diaconal, princípios primitivos.

  7. josé carlos disse:

    o pastor René traz algumas opiniões interessante,
    ele fala do saber aplicar sua fé, trazendo o antigo para nossa realidade atual sem afetar o literal que o texto foi escrito. Uma outra coisa que chamou a atenção foi a respeito da igreja diaconal, a igreja que serve para pregar segundo as suas ações. josé Carlos-saj

  8. Vitor de Oliveira Santos disse:

    Sem dúvidas, a igreja de Cristo precisa ter um papel relevante na sociedade em que está inserida,sendo influenciadora e persuasiva. Dentre os 3 tópicos citados pelo Pr. Ed René, destaco o 1°- a preocupação conceitual, a ressignificação da fé, buscar o que ficou atrás, falar de coisas que não se discute e nem se fala mais nas igrejas. O dialogo, é o caminho que devemos trilhar, ouvir o que a comunidade necessita, discutir temas que por muitas vezes não se comenta nas igrejas, abrir fóruns. Por muitas vezes a igreja se calou em alguns assuntos e pagamos o preço hoje. Porque se evita de falar no politica no meio das igrejas, porque existe esse receio ? Porque temos dificuldades de lidar na evangelização do homossexual ?
    Destaco uma frase do Pr. Ed René : ´´ A igreja precisa persuadir e não se impor “

  9. Patricia souza silva disse:

    Algumas coisas mostradas nessas palavras do Pr René kivits é meio contraditoria ,uma comunidade que vive unida ajudando uns aos outros vendo a nesseciades e caminhando junto ela se torna uma comunidade sadia ,limpa restituida mostrando assim que juntos somos mais fortes para vencer qualquer obstaculos.

  10. Quando o homem da maior prioridade às coisas daqui da terra,foge do propósito de Deus que é espiritual. Quando o homem estava no jardim havia paz,por que havia obediência, mas o pecado destruiu essa paz. Quando Deus expulsa do jardim, ele sai fazendo tudo conforme a sua vontade, mas a igreja tem que estar inserida na cidade para ser um instrumento de bênção para que possa trazer o homem de volta a presença de Deus. No capítulo 17 do evangelho de João a partir dos do versículo 14 a 18. Por tanto a igreja tem sim que estar presente na cidade.

  11. Levi Vieira disse:

    A reflexão do Pr. Ed Renê Kivitz me parece uma leitura bastante lúcida da realidade um tanto assustadora dessa nossa geração. É fato que estamos cada vez mais conectados na mesma proporção em que cada vez menos juntos, perto, ligados, acessíveis. Somos o povo de um país com um capitalismo deficitário, somado ao que há de pior no socialismo institucionalizado. O resultado disso é uma nação em crise, cheia de desigualdades sociais, inversão de valores morais, banalização família e do respeito e amor ao próximo.
    Toda essa turbulência tem se refletido na igreja. É hora de se levantar. É hora de conhecer mais profundamente a fé que processamos. É hora de deixarmos de ser guetos, e nos tornar o lugar que acolhe, que dialoga, que confronta com amor e ousadia. É hora de deixar o medo, e permitir que a verdade do evangelho seja luz, e ilumine tantas mentes oprimidas por verdades falsas, disformes e malignas. Busquemos na Palavra de Deus e no Espírito Santo, as ferramentas necessárias para os desafios que estão à porta.
    Que Deus nos abençoe!

  12. Lucas Fortunato disse:

    Muito importante a observação do Pastor em destacar que a igreja deve ser uma influência onde está, e ele menciona o contato no dia a dia com a comunidade e me faz concluir que estamos em um período em que as preocupações não é mais em ser uma influência na comunidade, pois as adaptações tem tomado o espaço onde de influenciadora estamos sendo influenciados pela comunidade.

  13. Vauexley Santos Simplicio de Souza disse:

    Muito interessante o conceito de cidade como o contraponto bíblico ao jardim do Éden, onde a cidade é uma tentativa humana de recuperar o jardim. e o que mais chamou atenção foi a excelente visão do Pr. Ed René Kivitz em observar o mundo no século XXI como o mundo da artificialidade, pois, a cada ano que passa o artificial vem substituindo o natural ao ponto do que aquilo que é artificial está se tornando natural, com isso, a igreja precisa com urgência abrir seus olhos para ser o espaço da humanização dentro da cidade, se preocupando em ser conceitual, dialogal e diaconal para que assim, seja relevante aonde ela estiver estabelecida.

  14. LUIZ RICARDO VIEIRA SANTOS disse:

    “`Eu discordo um pouco do pastor, principalmente quando ele fala que Deus incorporou o projeto do homem, no seu projeto da nova terra. Ao ouvi-lo me deu uma leve impressão de um Ateísmo Aberto pregado por ele.
    Mas concordo com o mesmo quando fala que a igreja precisa resgatar o que ser perdeu, e que Ela prega uma só verdade porém em muitas línguas.“`

  15. RAMILE SILVA PEREIRA disse:

    Interessante a forma como o pastor expõe o princípio de que a igreja precisa ser relacional – manter um relacionamento ativo com a comunidade na qual está inserida – pois, só a partir disso, poderá se tornar uma igreja relevante nesse espaço. Conheço algumas igrejas que exercem bem esse princípio e podemos ver diferenças significativas na comunidade e nas relações entre ambas. Estar aberta ao diálogo, independentemente de ideias convergentes ou divergentes, é uma tarefa para qual a igreja deve estar sempre pronta, pois, uma vez que esta esteja convicta sobre sua fé, nada a abalará. Por fim, num contexto social líquido e “coisificado”, as relações pessoais sólidas, fazem toda diferença e essa deve ser uma preocupação das nossas comunidades de fé.

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *