Home » Media » Religião Comparada: Vídeo 4 – “Olavo de Carvalho”

16 Responses so far.

  1. Jorgevan Alves da Silva disse:

    Com as devidas proporções, Olavo de Carvalho expressa em sua entrevista o famoso jargão popular que diz: “Futebol, política e RELIGIÃO NÃO SE DISCUTE”.

    Discordo que não seja possível comparar religiões. Sim, é possível compará-las, inclusive para identificar seus ritos, dogmas e liturgias. Obviamente, que, ao compará-las, é necessária considerar suas peculiaridades, mas em todas serão identificadas os “elementos” básicos e essenciais para sua existência: o divino ou sagrado; o sarcerdote ou “agente mágico”; e o devoto ou fiel.

  2. Luan Nascimento disse:

    O Olavo expõe uma posição totalmente concreta e direta no que diz respeito a atitude de querer comparar religiões: NÃO É POSSÍVEL. Esse parâmetro não serve pois a discussão de uma religião para a outra não abarca as mesmas demandas, nem doutrinas etc. Cada religião – e religião entendido como um sentido mais amplo – só é entendida através da sua própria conduta, pois elas não se equivalem. Isso aqui nos faz pensar em como entender certos conflitos religiosos existentes até hoje; como uma “União” entre religiões seria possível? No cerne dessa aula, fica claro como uma coisa (religião) não pode abarcar o campo da outra. Isso é impossível.

  3. Emanuel Passos de Jesus disse:

    Olavo de Carvalho faz uma explicação que as religiões serão compradas pelo processo metafisico, sendo assim cada religião terá suas particularidade, pois não são espécie do mesmo gênero e suas demandas são diferentes ,ou seja, o que serve para uma não serve para outra.

  4. Marcio dos Santos Reis disse:

    No vídeo, Olavo de Carvalho desconstrói, em sua opinião, o conceito de religião, e fala sobre a comparação entre religiões. Para o escritor, há elementos que norteiam as diversas religiões, que não podem ser utilizados para comparar as práticas religiosas, já que cada religião tem seus aspectos individuais. No próprio arcabouço de elementos, a tentativa de comparação faz com que haja uma perda da qualidade do que se compara. Para Olavo de Carvalho, não há como comparar e afirmar que uma religião é verdadeira ou falsa, ou ainda, melhor ou pior que a outra, já que não há elementos para as mesmas serem comparáveis.

  5. josé carlos pinheiro disse:

    Este video é uma entrevista, e a pessoas que foi entrevistada fala que o Islamismo, não como ser comparada com Cristianismo, por que as duas se divergem quando se trata do individuo, o cristianismo valoriza a pessoa e o islamismo por sua vez não valorizam o individuo.

  6. Uelington Sousa Rocha disse:

    O vídeo apresenta uma entrevista de Olavo de Carvalho, e parte de um livro escrito por ele sobre Maomé em 1984. O livro era uma série de estudos sobre interpretação simbólica de episódios da vida do profeta do Islamismo. Apresenta a concepção da Religião Comparada com a interpretação de ordem mística e metafísica. Resgata o pensamento de Unidade transcendente que é comum a todas as religiões: ponto de vista metafísico. Para ele, nesse sentido, as religiões convergem necessariamente e isso é diferente do ecumenismo. As religiões não são espécies do mesmo gênero, a única coisa comparável é o aspecto metafísico. Para ilustrar, toma como exemplo a Via de salvação do Cristianismo, é única e diferente de outras religiões.

  7. Antônia de Jesus Andrade Ferreira disse:

    Olavo de Carvalho relata o fato das religiões não poderem ser comparadas como unidade por serem espécies de gêneros diferentes e faz uma diferenciação entre religiões e seitas dizendo que para se ter uma religião é preciso ter elementos suficientes para sustentar uma civilização.

  8. Arisvaldo disse:

    Devido o que foi exposto na entrevista, onde a problemática em foco é as características e peculiaridades das religiões, sabemos que existem várias seitas que fazem ou pelo menos tentam fazer analógias proximas e o pior é quando entram na seara da competição, onde tal julga ter mais espiritualidade do que a outra. Enfim, podemos afirmar que o cristianismo veio desnudar todo esse tipo de confusão e o evangelho da revelação de Deus, onde o verbo se fez carne e habitou entre nós, veio para nós religar a Deus.

  9. Vitor de Oliveira Santos disse:

    Olavo de Carvalho em sua entrevista, trás um posicionamento diferente sobre comparar religiões, onde afirma que as religiões por não ser espécie do mesmo gênero não se pode comparar, pois são pontos de vistas distintos, doutrinas que diferem, cada uma de acordo com sua visão e concepção. Carvalho dá um exemplo dentro do Cristianismo, onde a salvação se enquadra de maneira mais objetiva, talvez porque seja a única quem tenha um olhar ao individuo/o outro e que no Budismo por exemplo, pode ser um outro fenômeno espiritual. Enfim não existe religião superior a outra.

  10. Marciana Santana disse:

    A entrevista realizada vem nos apresentando a ideia de que as religiões não podem ser comparadas, dando também a entender que “não existe religião” a nível que se é falado. Ele também nos fala um pouco sobre a diferença entre seita e religião e a questão do “indivíduo” ter sido criado pelo cristianismo.

  11. odalvo disse:

    Olavo de carvalho faz algumas afirmativa, sobre religião comparadas, partindo do pressuposto de que, que é impossível fazer comparação entre religião e religião, e que cada uma tem seu ponto de vista, variados pontos de vista do Islamismo, Indu, Judaísmo, etc. Carvalho ainda afirma que não há várias religiões é mentira é coisa da mídia, é para se estudar, analisar, e que algumas religiões partem de revelação
    1- Cristianismo, revelação a partir do SENHOR JESUS CRISTO.
    2-Judaísmo- da revelação de Moisés.
    É fato que ainda a muita coisa para investigar, para chegar uma conclusão.

  12. vanessa costa da mota disse:

    Olavo de Carvalho diz que fazer comparações das religiões é inviável, pois não tem base para comparação, pois religião se refere ao cristianismo (Origem de civilizações).

  13. Vitor Rios disse:

    Cuturalmente a religião exece influencia em cada povo que esta intimamente ligado à cultura.

  14. Cleiton Nunes disse:

    O Olavo de Carvalho defende neste vídeo que as religiões não podem ser comparadas com legitimidade, pelo fato de não possuirem o mesmo escopo construtivo, ou seja, não se pode comparar qual é melhor ou pior se os meios de comparações não convergem. Para que haja uma medida justa de comparação a religião não poderia ser “subjetiva” com experiências específicas para cada indivíduo.

  15. Maria Eduarda Nunes Barbosa disse:

    Comentada que cada religião tem o mesmo peso cultural

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *